Crítica | Transformers: O Último Cavaleiro

Otavio Almeida 21 de julho de 2017 0
Crítica | Transformers: O Último Cavaleiro

Michael Bay nunca decepciona em relação ao que esperamos dele: lobotomia disfarçada de cinema

Por Otávio Almeida

É impossível lembrar ou explicar o que acontece do início ao fim em Transformers: O Último Cavaleiro (Transformers: The Last Knight, 2017), espécie de lobotomia disfarçada de cinema. Não falo da ação exagerada em que os olhos humanos se perdem e não sabem onde focar com tanta coisa poluindo a tela (sem falar no barulho ensurdecedor e ininterrupto que maltrata os ouvidos). É tudo tão desconexo que não sei nem por onde começar, mas me refiro aos princípios básicos do desenvolvimento de um roteiro e a função do diretor em atuar como um contador de histórias, no mínimo, conduzindo a trama de um ponto ao outro. E esses pontos são inexistentes no quinto Transformers. Não é falha ou buraco. Eles simplesmente não existem e a sensação é que o improviso rola solto. Bom, você vai me dizer: “Ah, mas isso é um filme do Michael Bay!”

Verdade. E parece um greatest hits dos outros Transformers, com o diferencial de contar com um plot envolvendo o Rei Arthur (!), Merlin (!!) e os cavaleiros da távola redonda (!!!), além de Anthony Hopkins pagando mico (!!!!); nada que Bay não tenha feito antes com gente boa como John Malkovich e Stanley Tucci. Mas, cara, eu sei, não é questão do roteiro ser ruim ou a ação ser mais importante que tudo. As soluções que desenvolvem a narrativa, muitas vezes, não fazem o menor sentido, o que leva roteiro de filme do Renato Aragão pós-Trapalhões parecer bom. Imagine um menino de seis anos brincando e misturando personagens em sua inocente imaginação, criando situações e histórias diferentes tudo ao mesmo tempo agora e uma pessoa (mais velha) observando aquilo sem entender o que está acontecendo e para onde a cabeça da criança está indo. Normal, estou falando de um menino de seis anos; idade que Michael Bay ultrapassou há tempos. Sim, quero dizer que Transformers: O Último Cavaleiro é de um jeito numa cena e muda completamente na próxima. E isso não é elogio em relação à criatividade dos envolvidos, porque se perder na trama não faz parte do show. Pelo menos, do ponto de vista positivo.

Tem tanta gente nesse filme que aposto que a maioria no público não lembra ao menos dos nomes da maioria dos personagens. Veja o caso de duas novidades do elenco, Laura Haddock (a nova Megan Fox), e Isabela Moner, que não escapa da câmera de Michael Bay obcecada por suas pernas mesmo sendo uma menina de 14 anos na história (!!!!!). Pense bem, as duas personagens poderiam ter suas características condensadas numa só, o que enxugaria um pouco o elenco. E isso vale também para os militares dentro e fora do campo de batalha – junte Josh Duhamel com Santiago Cabrera e poderíamos ter apenas um –, além do pobre John Turturro em participação especial tão desnecessária que sua importância na trama poderia ser transmitida no roteiro a qualquer outro personagem, como Tony Hale, de Arrested Development.

Sei que Michael Bay é um cineasta que se encanta com o espetáculo em larga escala e brinca como pode com as câmeras IMAX. Só que palavra é essa mesmo: BRINCA. Ao contrário de Christopher Nolan, por exemplo, ele quer preencher a tela inteira com qualquer coisa e sem compromisso algum com a linguagem.

Mas criticá-lo é bater em cachorro morto, afinal é um diretor que nunca decepciona em relação ao que esperamos dele. Apenas acho impressionante como o primeiro Transformers ainda tinha algum nexo e um pouco de consideração com a inteligência do público apesar dos pesares. Do 1 ao 5, então, o desgaste é visível a olho nu e, acho que disse isso antes, a impressão é que Michael Bay está rindo da nossa cara. Não há outra razão para ele responder a um repórter que a diferença em relação aos anteriores é que O Último Cavaleiro tem mais ação.

VEJA O TRAILER:

Transformers: O Último Cavaleiro (Transformers: The Last Knight, 2017)
Direção:
 Michael Bay
Roteiro: Art Marcum, Matt Holloway e Ken Nolan
Elenco: Mark Wahlberg, Anthony Hopkins, Josh Duhamel, Laura Haddock, Santiago Cabrera, Isabela Moner, Tony Hale e John Turturro
Duração: 149 minutos
Distribuição: Paramount

Deixe seu comentário »