Sem George A. Romero, não seríamos fãs de zumbis

Otavio Almeida 18 de julho de 2017 1
Sem George A. Romero, não seríamos fãs de zumbis

Sem o cineasta George A. Romero, os zumbis ainda estariam no Haiti.

Sem ele, zumbis famintos não seriam tão populares mundo afora.

Sem A Noite dos Mortos-Vivos, não teríamos A Volta dos Mortos-Vivos, Madrugada dos Mortos, Todo Mundo Quase Morto, Extermínio, Guerra Mundial Z nem The Walking Dead.

Sem George A. Romero, as maquiagens não seriam tão criativas e o Halloween não teria a menor graça.

O destino até poderia colocar Thriller no caminho de Michael Jackson, mas a inspiração viria de outros monstros e não quero nem imaginar como seria o resultado disso. A certeza absoluta é que John Landis não teria dirigido o videoclipe mais famoso de todos os tempos.

Provavelmente, diretores como Edgar Wright, Peter Jackson e Zack Snyder teriam outras profissões.

Um escritor como Stephen King certamente passaria longe de influências que o levaram a assinar livros inesquecíveis (com ou sem personagens voltando dos mortos).

Sem George A. Romero, que foi fiel às suas decisões criativas, poucos diretores atuais teriam lutado para manter suas visões perante Hollywood. Romero foi um dos principais talentos que provaram não ser obrigatório um orçamento gigantesco por trás de filmes que são lembrados para sempre.

Vamos pular da indústria cinematográfica para a dos games. Sem ele, você acha que existiriam Resident Evil, The Last of Us ou DLCs de jogos de guerra com zumbis?

Agora que não temos mais George A. Romero, que faleceu no último domingo (16), aos 77 anos, as novas gerações precisam saber de onde vieram algumas de suas histórias favoritas. E que não existiriam zumbis na TV, no cinema, nos livros, nos quadrinhos ou nos games. Muito menos no século 21. Aos mais velhos, como eu, resta um “muito obrigado” a um mestre que fez a diferença. Poucos artistas foram tão importantes para moldar a cultura pop como a conhecemos hoje.

One Comment »

  1. Paulo Ricardo 18 de julho de 2017 às 8:23 PM -

    Texto lindo de um mestre que revolucionou a cultura pop.O seu texto e do Roberto Sadovski me deixou com desejo de conhecer a filmografia de George Romero.

Deixe seu comentário »