Vamos falar sobre aquele clipe de Donald Glover

Otavio Almeida 8 de maio de 2018 0
Vamos falar sobre aquele clipe de Donald Glover

Provocador? Polêmico? Ou Childish Gambino (aka Donald Glover) quer apenas esfregar na nossa cara a realidade que costumamos ignorar? A música “This is America” traz a explicação no título e aborda a escravidão e a dificuldade de ser negro nos EUA até hoje, o desespero que os americanos têm por atenção, a ditadura da beleza e, numa mistura de todos esses ingredientes, sua essência gira em torno de como a cultura pop distrai a sociedade, que acaba fechando os olhos para grandes problema do dia a dia. Isso inclui a alienação dos jovens, suicídios, violência policial, o histórico massacre na igreja da comunidade negra em Charleston, entre outras referências.

Dirigido brilhantemente por Hiro Murai, “This is America” é parte do novo álbum de Donald Glover (ou, melhor, Childish Gambino) e já é um fenômeno de todas as formas possíveis. O clipe superou 10 milhões de visualizações no YouTube em 24 horas, embora o recorde continue sendo de Adele com “Hello”, que teve 23 milhões de visualizações em apenas 24 horas.

O mais importante: há tempos que um videoclipe não é tão comentado só por causa do recorde de views. “This is America” impacta não só porque temos um astro popular em cena – Donald Glover é conhecido por séries como “Community” e “Atlanta”, da qual também é o autor, e, de agora em diante, é o jovem Lando Calrissian de “Han Solo: Uma História Star Wars”.

Sim, o vídeo impacta por tocar na ferida, mas principalmente no modo como a expõe na tela que você escolher apertar play. E é nesse ponto que entra a força da linguagem de uma arte que sobreviveu à morte de sua casa original, a MTV – pelo menos, a MTV como veio ao mundo e abrigou hits eternos como “Thriller” e “Bad”, com Michael Jackson.

Não faz tanto tempo assim que videoclipes revelaram talentos de cineastas hoje consagrados, como David Fincher (Seven, Clube da Luta, A Rede Social) e Spike Jonze (Quero Ser John Malkovich, Ela). Cara, Martin Scorsese dirigiu “Bad”. Mas faz muito tempo que clipes não despertam tantas análises por seu valor artístico. É aquele raro momento em que o clipe se torna tão famoso quanto a música. Talvez, até mais.

Claro que teremos todos os tipos de consumidores expostos ao vídeo, passando pelo militante ao adepto do mimimi, e “This is America” foi mesmo feito para cutucar. Mas que a arte evocada por Donald Glover e Hiro Murai sobreviva a qualquer discussão.

Mudando ou não para melhor esse mundo que precisa de um clipe como “This is America” para gerar reflexão. E que os videoclipes voltem a significar alguma coisa e não se percam em imagens que ninguém vê ou lembra enquanto a música rola solta no ambiente. Mas, sim, que “This is America” mobilize a sociedade. É uma jogada de gênio de Glover e Murai, afinal a produção afirma que a cultura pop tira a atenção das pessoas.

Deixe seu comentário »