“Christopher Robin” | Crítica

Otavio Almeida 20 de agosto de 2018 0
“Christopher Robin” | Crítica

Fofo e… só

Por Otávio Almeida

Pelo trailer, você já sabia que “Christopher Robin” (2018) seria um filme fofo. É sobre o menino que ninguém lembrava o nome e era o amigo humano do Ursinho Pooh, Tigrão, Leitão e Ió. Só que ele cresceu e ser adulto é chato demais e desgastante mesmo quando você se torna o Ewan McGregor. Mas, num belo dia, Christopher Robin (insistentemente chamado o filme inteiro pelo nome e sobrenome) reencontra Pooh e, finalmente, terá a chance de equilibrar a criança dentro dele (desaparecida há tempos) com a vida adulta, principalmente no que diz respeito ao papel de pai.

Vamos falar a verdade, então, porque você viu esse filme antes, várias vezes e, mesmo assim, entra no cinema para gostar. A diferença é que, desta vez, o Ursinho Pooh está lá. O problema é que não há uma cena memorável nem um momento surpreendente do início ao fim. É exatamente o filme que você espera, inclusive tecnicamente, com fotografia, figurinos, cenários, trilha, efeitos visuais impecáveis e o carisma habitual de Ewan McGregor.

Vou dar um exemplo: em “Titanic”, você sabe que o navio vai afundar, mas nem por isso deixou de ser surpreendido pela história e testemunhar cenas que o tempo fez questão de registrar como inesquecíveis. Um ou outro espectador pode não gostar do filme de James Cameron, mas todos sabem do que estou falando.

Mesmo que, em certa hora, “Christopher Robin” ameace seguir um caminho diferenciado, como o lampejo de importância dado à melancolia da vida adulta na primeira metade do filme, flertando até mesmo com uma abordagem mais sombria que o normal para os padrões Disney, não demora muito para o espectador entender que a intenção dos envolvidos é conduzir tudo by the book. O resultado é um filme muitas vezes indeciso sobre qual tom seguir e é capaz de não conquistar inteiramente nem crianças nem adultos. Mas o produto que você pagou não deixa de ser fofinho, como esperado, e isso é devidamente entregue ao cliente.

Acontece que “Christopher Robin” é do diretor Marc Forster, que assinou o incrível “Em Busca da Terra do Nunca”. Embora tenha feito filmes de diferentes gêneros, a expectativa vai lá em cima quando sabemos dessa reaproximação do cineasta com o terreno da fantasia (e do tema que divaga sobre o conflito “adulto vs criança” que existe em todos nós). Mas enquanto “Em Busca da Terra do Nunca” não é Disney, tem um Marc Forster maduro falando a todas as idades sobre a criação de Peter Pan e é um filme lindo, “Christopher Robin” é Disney, traz o diretor abraçando seu lado infantil como contador de histórias e dando ao filme uma direção muito mais conservadora e previsível, inclusive nas emoções que quer arrancar da plateia.

VEJA O TRAILER:

Christopher Robin: Um Reencontro Inesquecível (Christopher Robin, 2018)

Direção: Marc Forster
Roteiro: Alex Ross Perry, Tom McCarthy e Allison Schroeder

Elenco: Ewan McGregor, Hayley Atwell, Bronte Carmichael, Mark Gatiss, Jim Cummings, Brad Garrett, Nick Mohammed, Peter Capaldi, Sophie Okonedo
Duração: 1h54
Distribuição: Disney

Deixe seu comentário »