Não há como impedir o Oscar de Alfonso Cuarón

Otavio Almeida 3 de fevereiro de 2019 2
Não há como impedir o Oscar de Alfonso Cuarón

No último sábado, o cineasta Alfonso Cuarón recebeu o prêmio do Sindicato dos Diretores (o Directors Guild Awards) pelo filme Roma. É a segunda maior classe entre os votantes da Academia (perde somente para os atores) e o Oscar da categoria está mais que encaminhado para o mexicano que já tem pelo excepcional Gravidade.

Mas até 24 de fevereiro, você pode ler ou ouvir por aí comentários sobre expectativas quanto a possíveis vitórias de outros diretores. Talvez para conseguir views, likes, audiência, porque ano após ano é a mesma coisa e isso serve para 90% das categorias. Prêmios anteriores ao Oscar ditam o que a Academia irá homenagear. As premiações discordam, no máximo, numa categoria outra no que diz respeito a um ou dois nomes, mas o resto é repetição.

Talvez porque as campanhas dos estúdios nos mesmos filmes sejam fortes demais. Talvez porque uma premiação tenha vergonha de votar diferente da outra para não pagar mico. Mas será que ninguém mais acha estranho que todos os prêmios caiam nas mãos dos mesmos talentos durante toda a temporada?

Quem acompanha Globo de Ouro, Oscar, Bafta e os prêmios dos sindicatos está careca de saber que é assim que a banda toca. Portanto, fico admirado como jornalistas e blogueiros que se dizem especialistas nas premiações iludam seus leitores e fãs com suposições que não dão em qualquer lugar além do previsível.

Não há como impedir os Oscars de Mahershala Ali, Glenn Close e Shallow. Em Melhor Ator ou vai para Rami Malek ou Christian Bale. Em atriz coadjuvante, o Oscar deve ficar com Regina King. Homem-Aranha no Aranhaverso ganhará como Melhor Animação, Roma será o Melhor Filme Estrangeiro, enquanto Alfonso Cuarón será o Melhor Diretor. Como o Oscar fecha a temporada, a culpa e o mérito despencam nos ombros da Academia. Mas olhe para trás e repare se outras premiações ignoraram, por exemplo, Bohemian Rhapsody. Não se deixe enganar.

2 Comentários »

  1. Paulo Ricardo 4 de fevereiro de 2019 às 3:51 PM -

    Vou vibrar com a vitória de Glenn Close,Mahershala Ali,Alfonso Cuaron e Spike Lee(roteiro adaptado).Mas premiar Rami Malek por “Bohemian Rhaspody” é demais…tudo bem que o filme é sucesso colossal(arrecadação de blockbuster),mas não é atuação para levar uma estatueta do Oscar.

  2. Otavio Almeida 5 de fevereiro de 2019 às 8:57 AM -

    Ainda há esperança para Christian Bale. Mas não espere qualquer outro vencedor na categoria. Abs

Deixe seu comentário »