Precisamos lutar pelo nosso direito de acesso à cultura

Otavio Almeida 10 de setembro de 2019 0
Precisamos lutar pelo nosso direito de acesso à cultura

Quadrinhos proibidos, livros fiscalizados na Bienal, presidente querendo “reeducar” a Ancine e dar palpite sobre o que devemos e o que não devemos assistir. Bruna Surfistinha? Nem pensar! O que nossas crianças podem pensar? Pensar… pensar o quê mesmo? Será que elas terão a capacidade de pensar por si mesmas na fase adulta?

Vocês estão vendo o que está acontecendo? Sim, algo ruim está acontecendo. Aos poucos ou mais rápido que alguns esperavam, não importa. Está acontecendo. Lembro de histórias que os mais velhos contavam sobre uma época em que proibiam livros, músicas, filmes e direitos que o país conquistou. Davam porrada ou faziam coisa ainda pior em quem tinha opinião contrária. Mas nunca pude ver algo próximo disso como estou testemunhando nos dias de hoje.

Talvez tenha chegado a hora de pedir aos outros, conhecidos ou não, de famílias do bem ou do mal, para irem mais ao cinema. De preferência, levando outras pessoas também. Levem as crianças ao cinema. Leiam para elas. Contem a elas sobre as grandes histórias que formaram seu caráter. Incentive o acesso à cultura; digam o quanto é importante estudar, adquirir conhecimento. Sempre. Contem a elas quais são seus heróis reais e da ficção. Digam a elas quem criou e ajudou a contar essas histórias. Perguntem o que elas acharam de filmes, séries, livros, quadrinhos. Levem amigos, parentes e suas crianças ao teatro. Aos shows de seus artistas favoritos. Cantem juntos as melhores músicas, indiquem playlists, exposições. Digam que Star Trek, os Vingadores e os X-Men fizeram sucesso no mundo inteiro porque abraçam as diferenças e todos se identificam. Digam que nossos heróis não excluem ninguém. Digam que todos são capazes de lutar pelos seus sonhos. E pela felicidade. Diga que o amor é imenso e que não há hora nem lugar nem regras quando o coração resolve bater forte por alguém. Podem não acreditar de imediato, mas terão o que pensar.

É o momento de agir, compartilhar, incentivar. Se continuarmos pensando somente em nós mesmos, pode ser que, daqui a pouco, seja tarde demais para dizer alguma coisa ou tomar uma atitude. Você sabe…

“Outras ditaduras usam estratégias diferentes para controlarem ideias. Baixam o nível da educação, limitam a cultura, censuram a informação. Censuram qualquer meio de expressão individual. E é importante lembrar que esse é um padrão que se repete por toda a História.”

A fala é do personagem de Jake Gyllenhaal em O Homem Duplicado, filme dirigido por Denis Villeneuve em 2013. Mas pode ser a nossa realidade em pouquíssimo tempo.

Deixe seu comentário »