El Camino | Crítica

Otavio Almeida 20 de outubro de 2019 2
El Camino | Crítica

Epílogo de “Breaking Bad” pode não empolgar, mas entrega um bom final para Jesse Pinkman e não trai o que vimos até aqui

Por Otávio Almeida

O que aconteceu com Jesse Pinkman? Breaking Bad é uma série perfeita, mas deixou essa coceira nos fãs desde que Vince Gilligan encerrou a melhor produção norte-americana feita para o formato nesta década. Mesmo assim, nunca vi como um erro, mas como a lacuna que permitiu aos adeptos exercitar a imaginação. A mais provável, embora o passado não possa ser apagado, Jesse teria finalmente a chance de seguir adiante. Não exatamente com uma redenção, o que seria praticamente impossível. Mas ter a chance de recomeçar quando se tem a vida inteira pela frente? Bom, isso foi uma bênção de Vince Gilligan para o personagem. Porém, o final também permitiu inúmeras interpretações. Por que não? A polícia poderia pegá-lo. Ou matá-lo durante a fuga. Vai saber. O ponto é que, no fundo, todas as respostas deveriam estar corretas, contanto que o espectador escolhesse o caminho do otimismo ou do pessimismo.

Em outras palavras, não precisávamos de nenhuma continuação de Breaking Bad. Não precisávamos confirmar o destino de Walter White nem saber como Skylar e Walter Jr. seguiram depois dos eventos do último episódio. Só que Vince Gilligan achou que ainda devia algo a Jesse Pinkman. Eu entendo, mas discordo da realização de El Camino: A Breaking Bad Movie (2019), que começa no exato momento em que deixamos o personagem imortalizado por Aaron Paul.

Como esperado, o filme não faz a menor diferença em nossas vidas. Parece somente um epílogo para Jesse; um longo apêndice de Breaking Bad sem surpresas em que o único objetivo é colocar um ponto final na saga do personagem. Por outro lado, Vince Gilligan acerta em não acrescentar qualquer coisa que mude o que vimos antes. Em resumo, não passa de aperitivo para os fãs. É como rever velhos amigos mesmo quando não temos nada a dizer no encontro. Quem nunca viu Breaking Bad, além de precisar de tratamento médico, deve passar longe de El Camino.

Escrito e dirigido por Gilligan, o filme tem uma vantagem para quem gosta da série: parece que o tempo não passou. É como se tivessem filmado El Camino na sequência do último episódio de Breaking Bad. Curiosamente, com uma perspectiva mais reflexiva, meditativa do que estamos acostumados na série. Isso enquanto damos olá a alguns rostos conhecidos. Nunca de forma gratuita, mas para alavancar cada decisão seguinte de Jesse.

Por mais que esse também seja o propósito de cada flashback, acho que Gilligan exagerou na dose com esse recurso geralmente preguiçoso. Breaking Bad nunca dependeu disso; diferente de Lost. E isso deixou El Camino bem moroso.

Mas OK. O filme pode não ser um exemplo do que Vince Gilligan é capaz de fazer como roteirista, mas certamente notamos que o cara está cada vez melhor como diretor. Que ele sabe contar uma história visualmente, todos nós temos certeza. Mas caprichou demais na hora de posicionar a câmera em alguns pontos insanos, vide o duelo no finalzinho. Gostaria de ver mais trabalhos de Vince Gilligan como diretor e roteirista, mas longe de Breaking Bad. Acho que ele tem muito a acrescentar tanto na TV quanto no cinema.

Da mesma forma que Aaron Paul, que merecia mais chances. Aliás, o ator ainda deixa a impressão de que não desligou do personagem nem por um segundo. É de impressionar quando lembramos que Jesse vivia um bastante momento pesado da última vez que o vimos em Breaking Bad. É um belo trabalho de Aaron Paul que, aos poucos, dá a Jesse a paz que ele merece. É só notar sua expressão em sua última cena em Breaking Bad e em sua última cena em El Camino. A transição entre duas distintas sensações de liberdade mostradas pelo ator vale mais que toda a história contada neste filme.

VEJA O TRAILER:

El Camino: A Breaking Bad Movie (2019)
Direção e roteiro: Vince Gilligan
Elenco: Aaron Paul, Bryan Cranston, Charles Baker, Jesse Plemons, Jonathan Banks, Krysten Ritter, Matt Jones, Larry Hankin, Robert Forster
Duração: 2h02
Distribuição: Netflix

2 Comments »

  1. Kamila Azevedo 23 de outubro de 2019 às 1:45 PM -

    Como não assistia “Breaking Bad”, esse é um filme que não me interessa muito…

  2. Otavio Almeida 28 de outubro de 2019 às 9:07 PM -

    Não, Kamila… Veja “Breaking Bad” o quanto antes. Não vai se arrepender. E é rapidinho 🙂 Bjs

Deixe seu comentário »